Vou ensinar-te como escrever





Vou ensinar-te como escrever:
Atenta-te aos odores, fica acessível a qualquer emoção.
Põe a marcha que toca o teu coração.
Amaras-me em silencio, pois eu preciso desse tempo,
Apenas cinco minutos tu farás desse momento,
Um novo tempo.
Cerra os dentes em sinal de desistência,
Morde os lábios quando estiveres contente.
Não deixe a marcha à mercê.
Aflora desejos, enlouqueça as asneiras.
E, agora fecha os olhos; pare a serenata;
Interrompa toda a vontade.
Eu irei ler o escrito que tu fizeste.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mente cinzenta: O mal entre instintos e consciência.

O infinito corredor

A melhor parte de mim.