Tragédia em dois atos.


Se te sinto ao meu lado é porque conheço o caminho errado.
Se te abro os olhos é porque quero o seu bem.
Não me julgue por ser incompleto apenas trema com a sintonia das nossas orações.
Neste inferno incumbido de máscaras eu não consigo sentir a sinfonia de dias majestosos que em época tocaram.
Eu grito, contesto e violento contra Deus...
As lágrimas derramadas naquele tempo foram de resultados mal resolvidos.
A dor que tenho agora é capaz de murchar flores, oceanos e a própria vida.
Em pleno século XXI ainda oro por aquelas mulheres e crianças que se perderam na esquina para casa.
Um diabo em forma humana e sem coração arrasava aquelas senhoras.
O vilarejo foi esquecido pelos olhos dos assassinos.
A vida morria e caia na solidão das trevas.
... eu era o assassino.



Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mente cinzenta: O mal entre instintos e consciência.

O infinito corredor

A melhor parte de mim.